"Essa tal ANSIEDADE" - #4 - Qual é o tratamento da ANSIEDADE? Como tratar a ANSIEDADE?


Continuamos com a nossa série de vários textos e vídeos sobre ANSIEDADE. Não deixe de conferir a série completa por aqui, no "BenchEscritos", ou "no Youtube".


"O que é ansiedade? Porque sentimos ansiedade? O que fazer com a ansiedade? Qual é a causa da ansiedade? Ansiedade tem cura? As perguntas são as mais diversas, e, vai ser um prazer bater alguns papos com você sobre "Essa tal ansiedade!"

No bate papo de hoje:

QUAL É O TRATAMENTO DA ANSIEDADE? COMO TRATAR A ANSIEDADE?


No texto/vídeo anterior sobre a CAUSA da ansiedade, vimos que ela é influenciada pela presença, pela combinação de três fatores: "Biológicos, da sua história de vida e do ambiente", e que a soma, e a análise desses três fatores precisam ser avaliados para entendermos um pouco melhor o que pode ter contribuído para o desenvolvimento da sua ansiedade.


Vimos também que, saber a CAUSA é importante não para acharmos os "Culpados", mas, para encontrarmos juntos a melhor forma de tratamento para você.


Nosso cérebro tem uma plasticidade capaz de aprender novos modelos e padrões, e hoje, nós vamos falar que tipos de TRATAMENTOS que nós podemos considerar para tratar a ansiedade e, o que é melhor e recomendado para cada quadro de ansiedade.


PRIMEIRO:

O primeiro passo para o tratamento da ansiedade é o DIAGNÓSTICO. A primeira coisa que precisamos saber é que tipo de ansiedade você tem. A ansiedade pode ser desenvolvida de diversas formas, por exemplo, nós temos:

- T.A.G = Transtorno de Ansiedade Generalizada;

- Agorafobia;

- Transtorno de Pânico

- Fobia Social

- Outras fobias de animais, objetos, lugares, e por ai vai

- T.E.P.T: Transtorno de Estresse Pós Traumático

Nós temos vários, eu só listei alguns aqui.


SEGUNDO:

Após o diagnóstico, o próximo passo que precisa ser seguido, é entender, a GRAVIDADE e a INTENSIDADE desse quadro, e se ele é um quadro: "leve, moderado ou grave." Como avaliamos essa gravidade e intensidade? Nós avaliamos quanto tempo a pessoa já vive com essa ansiedade, se a pessoa já tentou aliviar de alguma forma, se algo ajudou ou não, se é uma ansiedade persistente e resistente a algum tipo de tratamento, e principalmente, qual é o grau de influência e de impacto que a ansiedade tem na vida pessoal, profissional na vida dessa pessoa, e qual é o grau de sofrimento dela. À partir disso, conseguimos avaliar a gravidade e a intensidade da ansiedade e como podemos classifica-la, como "leve, moderada ou grave", para por fim, tratá-la!


TERCEIRO:

O terceiro passo consiste então com o inicio do TRATAMENTO da ansiedade.

E para explicar os tipos de tratamento, voltaremos aos 3 fatores que influenciam a ansiedade:


FATORES BIOLÓGICOS:

Se observamos, por exemplo que, a ansiedade tem um fator predominante biológico (ou não), o tratamento pode ser realizado "com ou sem medicamento", isso quem vai decidir é o psiquiatra. Psicólogo não medica.

Os medicamentos receitados pelos psiquiatras podem ser de dois tipos, basicamente:

- de alívio do sintoma, às vezes mais utilizados no inicio do tratamento, combinado com outras intervenções;

- ou, os medicamentos de longo prazo, para os casos mais persistentes ou graves, com medicamentos que atuam, e que podem ter uma ação direta nos neurotransmissores: serotonina dopamina e noradrenalina.


Uma coisa que vale reforçar, é que, a inclusão de um medicamento, não exclui as outras ações/tratamentos, um não elimina o outro. Algumas pessoas podem achar que só o remédio é a solução, mas não é, quer ver um exemplo.


Por exemplo: "se você estiver com uma infecção, e por isso apresentar febre, não vai adiantar você tomar remédios para abaixar sua febre e não entrar com medicação para tratar a causa principal, que é a infecção. Neste caso estaríamos atuando apenas no sintoma da "febre", mas, não estaríamos atuando na causa, que é a "infecção" . O mesmo ocorre com a ansiedade, por exemplo, digamos que ela é um sintoma de alguma causa que precisamos tratar, modificar, ajustar e por ai vai. O medicamento, quando receitado pelo médico é super importante, mas, não elimina os outras tratamentos em conjunto!

- Técnica de Mindfulness pode ajudar também nessa parte biológica, regulando a parte emocional, a estrutura e a parte química do cérebro;

- E por última, e não menos importante, a psicoterapia também, contribui para a modificação dos fatores biológicos.


FATORES DA HISTÓRIA DE VIDA:

- Tudo o que vivemos na nossa vida é uma história, e, assim como guardamos nas memórias do coração as nossas histórias lindas, não conseguimos nos esquecer daquilo que nos feriu, do que passamos, do porque sentimos o que sentimos, do porque nos comportamos dessa forma , e do porque pensamos no que pensamos. Alguns desses pensamentos são funcionais e outros tantos são disfuncionais, e, ligado a suas crenças provoca uma série de emoções, reações físicas ou comportamentos. Nesse caso, as psicoterapias, ou, a psicoterapia cognitiva comportamental (T.C.C), pode ajudar.


FATORES DO AMBIENTE:

- Fazer planejamento, equilibrar as expectativas, pensar na resolução dos problemas, atuar na mudanças de hábitos e pensamentos disfuncionais, mudar ou criar hábitos e rotinas saudáveis, psicoterapia, "quando mudamos, de certa forma, tudo em nossa volta muda também", atividade física, eliminação de fatores estressantes, mudança dos hábitos alimentares, meditação, yôga, e por ai vai.


É importante você se conhecer nesse processo, para ver, o que vai funcionar pra você.

É importante descobrir a causa, para encontrar o melhor tratamento pra você!


Agora, vamos então para a pergunta que não quer calar:

E essa tal ANSIEDADE, tem CURA?


Se a ANSIEDADE tem cura ou não, isso, a gente vai ver, no próximo vídeo/texto da série: "ESSA TAL ANSIEDADE!"


Esse foi o bate papo de hoje, eu vou ficando por aqui, e, a gente se vê por ai!


Abraços,

Déborah Stroebel




Artigos em Destaque
Artigos Recentes
Artigos por datas
Tags por assunto
Redes Sociais
"Siga-me"
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

Imagens, trechos de filmes, músicas, citações, referencias, entre outros itens que poderão ser utilizadas neste site, são marcas registradas dos seus respectivos proprietários. © 2017 - deborahstroebel - 2018

  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
"Se inscreva nas nossas redes sociais e fique por dentro das novidades!"

Déborah Stroebel CRP: 98038

E-mail: deborahstt@yahoo.com.br

Telefone e WhatsApp: (011) 9-8422-4655

Clínica em: Alphaville/SP (Centro Comercial)

Entre em contato! Agende sua consulta!

#benchleader #deborahstroebel